Blog


HomeTown Lisboa blog offers you a selection of articles devoted to the destination Lisboa, its news, culture, activities and of course, its people

Cultura e Arte

Alfama, o bairro mais antigo de Lisboa

6 meses atrás - Léa D.

Uma história rica de surpresas Você sabia que Alfama é um derivado do árabe "alfa maa", que significa as mil fontes? Nome encantador para este bairro emblemático e típico da nossa cidade de mil cores! Localizado entre o Castelo de São Jorge e o Tejo, você vai encontrar muitas atrações históricas e restaurantes ... deixe-nos guiá-lo. Alfama é um bairro muito acolhedor, com uma atmosfera de aldeia. É considerado um dos bairros mais antigos da cidade e acolhe todos os anos várias festas populares, como a de Santo António de Pádua, de 12 a 13 de junho. Dominado, por sua vez, pelas influências orientais e ocidentais, Alfama carrega a marca dos quatro cantos do mundo: é isso que o torna tão encantador. O distrito tem os seus domínios num grupo de fontes térmicas, daí a origem do seu nome mencionado acima. No topo de Alfama fica o famoso Castelo de São Jorge, um castelo medieval que foi a residência real até o século XVI. Para observar a cidade e os seus monumentos, é preciso chegar aos miradouros: o de Santa Luzia é um dos mais conhecidos. Perto desse miradouro está o Museu de Artes Decorativas, uma mansão do século XVII com magníficos interiores. Localizado no antigo palácio do Conde de Azurara (século XVII), este museu evoca a vida quotidiana de Lisboa nos séculos XVII e XVIII através de uma sucessão de pequenos quartos íntimos decorados com azulejos e frescos. Os últimos são adornados com móveis portugueses e indo-portugueses, coleções de talheres, porcelana chinesa e várias tapeçarias dos séculos XVI e XVIII. O 3º andar tem uma sala de exposições temporárias e uma cafetaria com um pátio acolhedor. Morada: Largo das Portas do Sol 2, 1100 Lisboa Telefone: +351 218 881 991 Nossos melhores endereços culinários Depois de uma longa caminhada, nada bate uma refeição preparada com cuidado! Pateo 13 Para um jantar pitoresco nas movimentadas ruas de Lisboa, nada supera o Pateo 13: desfrute do seu peixe fresco e pão branco sob notas musicais tocadas por músicos de rua: um momento cheio de vida, cheio de alegria e saciedade! Calçadinha de Santo Estêvão 13, 1100-219 Lisboa, Portugal Canto Da Vila Um restaurante brasileiro em Lisboa: um lugar a não perder. Num pequeno terraço, desfrute de um mojito fresco enquanto escolhe de que forma você quer saborear 0 seu bacalhau ... Copioso e delicioso! Rua Limoeiro 2, 1100-538 Lisboa, Portugal Fado Na Morgadinha O lugar perfeito para comer e dançar Fado, uma música tradicional portuguesa. Você também tem a possibilidade de tomar uma bebida enquanto admira os dançarinos do bar. Largo Peneireiro 5, 1100-219 Lisboa, Portugal Cruzes Credo Para um brunch vintage, é o lugar para estar! Um bom hambúrguer, uma salada acompanhada de um sumo de fruta fresca: algo para revigorar depois de descobrir as ruas de Lisboa. Rua Cruzes da Sé 29, 1100-192 Lisboa, Portugal O Prego Para desfrutar de um hambúrguer ou tapas num ambiente festivo. Assim como em casa, venha e restaure-se, O Prego! Largo Menino de Deus 14, 1100-375 Lisboa, Portugal Um Must: O Fado O fado é um estilo musical tradicional português. Muitas vezes há um cantor ou cantora acompanhado por duas ou três pessoas com instrumentos (guitarra, guitarra portuguesa, violino e violoncelo às vezes). O fado é ouvido em total silêncio e propõe uma multiplicidade de emoções (a saudade). No distrito de Alfama, aqui estão 2 lugares para descobrir o fado: Fado em Si é uma instituição onde todos os grandes nomes do fado passaram. Boa comida, 4 a 5 fadistas profissionais todas as noites que oferecem um serviço de alta qualidade: as condições ideais para descobrir a tradição portuguesa do fado. Arco de Jesus 7, Alfama, 1100-037 Museu do Fado onde um concerto ao ar livre é regularmente realizado no terraço. Para descobrir toda a história do fado ... Largo do Chafariz of Dentro 1 Picture 3 – Fado

Ler mais
Alfama, o bairro mais antigo de Lisboa

Alfama, o bairro mais antigo de Lisboa

Notícias

Férias em Lisboa

8 meses atrás - Léa D.

Gastronomia misturada com tradição Em português, "Feliz Natal" e a véspera de Natal é chamada de "Consoada". A ceia de Natal portuguesa não é uma refeição colossal composta por mil e um pratos: é um jantar simples, dando à família a oportunidade de se reunir à volta da mesa para saborear pratos saborosos e de tradição. Diz a lenda que existem 365 maneiras de cozinhar o famoso bacalhau, uma receita para todos os dias do ano. No dia de Natal, ele será cozido da maneira mais humilde possível: "bacalhau cozido", cozido com batatas e repolhos cozidos em água. Após a refeição, um lugar especial deve ser mantido para as muitas sobremesas que estão sabiamente esperando para serem saboreadas após a missa da meia-noite "Missa do Galo”. Esta é uma importante tradição religiosa. Depois da missa vem a degustação das sobremesas e a abertura dos presentes, para o maior prazer das crianças. A lista de sobremesas é longa e variada: a mais famosa é certamente a do "Bolo Rei", o bolo dos reis em forma de coroa e composto de frutos secos cristalizados. É uma pastelaria normalmente servida no dia 6 de janeiro, data em que os presentes já foram dados há algum tempo, simbolizando a visita dos três Reis Magos ao menino Jesus. Há também arroz doce, rabanada e "filhós", donuts feitos de massa de pão, brandy e laranja. O "pão de ló" feito de ovos e aromatizado com laranja ou limão também é uma delícia. Uma velha tradição é que, durante o Natal, os membros da família dão uns aos outros uma laranja com dentes como símbolo de prosperidade. Ao contrário de alguns países europeus, a árvore de Natal está menos presente nas famílias portuguesas que preferem o berço de Natal. Uma seleção dos mais diversos Seguido por Lille, Munique, Amsterdão e outras, Lisboa está à frente das 10 melhores cidades europeias para aproveitar o Natal. Compras retrô, antigas e familiares são adicionadas às principais marcas e marcas de luxo conhecidas de todos. Selecionamos para si vários mercados acessíveis na cidade, com temas diferentes para todos os gostos. Mercado Tradicional de Natal (Avenida da Igreja) De 7 a 16 de dezembro, este mercado familiar recebê-lo numa atmosfera colorida e festiva. Artesanatos, especialidades gastronómicas e animações, assim como o Pai Natal, estarão presentes. É o lugar perfeito para encontrar boas lembranças e divertir-se num ambiente acolhedor. Craft & Design (Jardim da Estrela) Localizado num dos mais belos jardins de Lisboa, o Jardim da Estrela, este mercado inclui os criadores e artesãos de cerâmica, fotografia, ilustrações, jóias, moda ... Acontece no primeiro fim-de-semana de cada mês. O Mercado de Natal do Campo Pequeno (Campo Pequeno) Nas grandes arenas do Campo Pequeno, mais de 100 expositores estarão presentes para apresentar vários artigos provenientes exclusivamente de Portugal. Comprar neste mercado ajuda a apoiar pequenos artesãos e marcas nacionais, ao mesmo tempo em que se deleita! Time Out Market (Mercado da Ribeira) É uma obrigação em Lisboa. É um mercado coberto, onde você pode comer graças aos 30 pequenos quiosques alinhados, que servirão para beber, comer com a possibilidade de comprar especialidades locais. Gelatarias, chefs de confeitaria, bar de cocktails ... uma panóplia de opções. Durante o Natal, Lisboa brilha O Natal em Lisboa é uma aventura cheia de luzes e cores. Toda a cidade está decorada com belas iluminações, e particularmente na Baixa. A inauguração das iluminações começa no dia 01 de dezembro às 18h. A famosa Praça do Comércio receberá, assim como todos os anos, a grande árvore de Natal de cerca de 30 metros de altura, decorada com mais de 86.000 lâmpadas Led. Wonderland Lisboa é um evento a não perder: é a transformação do Parque Eduardo VII num mundo mágico com diversas atividades: roda gigante, pista de gelo, balcões de venda de artesanato ... É um lugar de diversão, compras e relaxamento. A cidade de Lisboa também oferece muitos concertos de rua gratuitos nas igrejas e outros locais de culto em Lisboa, bem como músicas e shows. De 1 de dezembro a 6 de janeiro, participe no maior parque de diversões indoor, Diverlandia, no Parque das Nações. No programa: passeios para jovens e idosos e atrações de tirar o fôlego! Na mesma categoria, não perca o Circo no Coliseu, um magnífico circo natalício no Coliseu de Lisboa, de 1 a 26 de dezembro! Para terminar as suas festas em grande estilo, leve os seus filhos para ver o grande musical no gelo Alice o Pais Maravilhas no gelo. As apresentações acontecerão de 23 de novembro de 2018 a 6 de janeiro de 2019.

Ler mais
Férias em Lisboa

Férias em Lisboa

Gourmet

Onde e como provar bons vinhos portugueses em Lisboa

1 ano atrás - Valérie D.

Não há apenas Bordeaux, Borgonha e Côtes du Rhône na vida! Os enófilos sabem disso, Portugal é um excelente país de vinho. A pouco conhecida vinha portuguesa tem cerca de trinta regiões de origem. Várias produções de vinho, das quais se podem descobrir os taninos nas mesas dos famosos bares ou restaurantes de Lisboa, ou porque não durante uma excursão organizada dedicada às melhores bebidas da região. Assim, delicadamente estimulado pelos aromas locais, talvez você não saia de Lisboa sem uma ou duas boas garrafas encontradas entre as adegas e lojas especializadas da capital portuguesa. Saúde! Uma rica vinha portuguesa Crus portugueses, conhecemos especialmente o Porto, Vinho Verde, ou Madeira. A vinha lusitana, no entanto, tem uma grande variedade de tintos, brancos ou espumantes que podem acompanhar todos os tipos de pratos e várias ocasiões. Lisboa tem pelo menos nove denominações de origem: Bucelas, Colares e Carcavelos a sul, Alenquer, Arruda, Lourinhã, Óbidos e Torres Vedras no centro, e Encostas d'Aire a norte. O branco Bucelas, é por exemplo excelente para acompanhar as suas sardinhas locais. Visitando Sintra, você pode saborear os tintos de Colares que é vinificado não muito longe. Os vinhos da Estremadura estão entre os melhores brancos do país. Mais a sul da cidade, é produzido o Moscatel d'Arràbida. Doce, dourado, é ideal para um aperitivo ou sobremesa, quando tem 20 ou 30 anos. Carnes grelhadas serão melhor combinadas com um bom tinto do Dão. Para mesas com sabores mais fortes, favoreceremos os vinhos do Alentejo, Barraida ou Douro, uma pequena região do Norte também conhecida pelo famoso Porto. Falando de Porto, basta saber que se for apreciado pelos franceses na altura do aperitivo, ou com um bom melão, os ingleses preferem-no com o seu queijo, enquanto os portugueses bebem-no da sua parte no final da refeição. A outra estrela dos néctares portugueses, claro, é o Vinho Verde. Ele tem o seu nome de "vinho verde" da sua primavera fresca e colheita precoce (ao contrário do vinho maduro), não se engane: este vinho espumante pode ser tinto como branco. Finalmente, não vamos esquecer os vinhos do Algarve, que florescem ao sol da região vinícola de Portimão. Originária do Algarve, Amarguinha é um licor de amêndoa amargo muito doce. A diversidade das safras portuguesas não impede descobrir as alegrias dos famosos licores do país. Tipicamente de Lisboa, a Ginjinha ou Ginja é de facto um "imperdível" da capital, cabe-lhe ver se prefere este ‘sumo’ de cereja com ou sem a cereja no fundo do copo. Finalmente, em clima quente, você pode sempre mergulhar os seus lábios no fresco de uma cerveja nacional de sua escolha: Sagres, Super Bock, Crystal ou Imperial. Categorias de vinhos portugueses Note-se que os vinhos portugueses estão sujeitos a uma classificação que é dividida em 3 categorias: DOC (Denominação de origem controlada), IPR (Indicação de procedência regulada ), IGP (Vinhos Regionais, sinónimos de "Vins de Pays"), e finalmente os Vinhos de Mesa ou "Vinhos de Mesa". As categorias DOC e IPR estão em conformidade com a legislação européia Q.W.P.S.R. Vinhos de qualidade produzidos em regiões determinadas. A denominação do DOC é o equivalente do AOC francês (Appellation d'Origine Contrôlée). Estes vinhos de alto sabor e qualidades aromáticas, estão ligados aos solos e cumprem os mais altos padrões (castas, características do solo, teor alcoólico, etc.). A categoria DOC conta todos os anos novos eleitos, entre os quais se encontram o Porto, a Barraida, o Pico ou Madeira entre outras garrafas famosas. Os vinhos classificados como IPR (que podem ser traduzidos como "Indicação de procedência regulada") aguardam sua designação DOC, e observados a esse respeito por cinco anos para obtê-lo. Por assim dizer, estes IPRs são os candidatos de elenco para "Nova Estrela" do vinho Português. Os "Vinhos Regionais", de boa qualidade, cumprir a condição de determinada origem regional, mas não cumprir todas as regras impostas pelo nome DOC. O Algarve, Alentejano, Estremadura, fazem parte disso. Os vinhos de mesa portugueses podem ter boas surpresas, mas a maioria não possui a mesma qualidade dos seus vizinhos sob denominações controladas. Bons locais para desfrutar vinho em Lisboa Agora que sabemos tudo sobre o património vitivinícola de Portugal, tudo o que resta é encontrar bons locais para desfrutar destes bons vinhos em Lisboa. A capital não tem escassez de lugares dedicados aos prazeres da enologia, e os amantes de bons vinhos encontrarão uma grande variedade de bares, restaurantes com bons empregados de vinho ou belas adegas para visitar. Nós selecionamos quatro lugares para os amantes de vinho descobrirem o que há de melhor em Lisboa. A Old Pharmacy, por exemplo, é um bar de vinhos obrigatório localizado no Bairro Alto. O serviço atencioso dá as boas-vindas a um grande público na sua antiga decoração de farmácia, para fornecer o seu melhor conselho "terapêutico" ... Mesmo no centro da cidade, o restaurante Sommelier Lisboa é, como o próprio nome indica, uma mesa gourmet de eleição, ideal para acompanhar a sua refeição com as melhores garrafas. A sua lista de vinhos inclui mais de 80 seleções! Mas um “must” para dedicar um momento inteiramente à degustação de vinhos de todo o país, é a sala abobadada da ViniPortugal, entronizada na Praça da Comércio. Pelo preço de um pacote à sua escolha, pode provar diferentes vinhos a copo e descobrir toda a variedade de territórios e castas de Portugal. Aqui, nós não brindamos apenas, não "bebemos uma bebida" num lugar amigável, nós exploramos. Eventos de vinho e degustações temáticas também são oferecidos entre muitas atividades. Então, não desfaleça, na esquina de um beco pavimentado, mas sim num balcão de uma típica ginjinha. Lisboa é tem muitos, e é fácil identificá-los especialmente no Rossio, com pedras de cerejeira jogadas na calçada. O local histórico continua a ser A Ginjinha da Espinheira, onde pelo modesto montante de 1,10 €, o patrão manda-lhe o delicioso licor de cereja tão amado por Lisboa (e nada mais, estamos lá apenas para isso!). A Old Pharmacy: 83, R. do Diario de Notícias 73 – Lisboa Horário: diariamente das 17h30 às 00h00 Sommelier Lisboa: Rua do Telhal, 57 – Lisboa Horário de funcionamento: todos os dias das 18:30 às 00:45 ViniPortugal Sala Ogival: Terreiro do Paço, Ala Poente – Lisboa Horário de funcionamento: das 11h às 18h30 A Ginjinha Espinheira: Largo de São Domingos, 8 – Lisboa Horário: diariamente das 9h às 22h Descubra a cultura do vinho Português... e leve de volta para casa alguns aromas Você tornou-se num especialista em vinhos portugueses, provou-os e agora sabe quais são os seus favoritos. Impossível ir para casa sem trazer pelo menos uma boa garrafa, e porque não, a lembrança de um verdadeiro passeio na rota do vinho na região! Tudo que precisa fazer é sair do eléctrico nº28 perto da Sé. Atrás da nova loja da Adega GN, encontramos a famosa Garrafeira Nacional. A loja de vinhos oferece uma gama completa de vinhos portugueses, desde o melhor vinho de mesa DOC, do vinho mais verde às castas mais antigas. Para ir mais longe na exploração enológica da região, por que não tentar um dia organizado nas estradas do vinho. Get your guide oferece, por exemplo, um motorista particular que vai guiá-lo um dia inteiro entre degustações nas mais belas adegas da região, visitas nas vinhas mais prestigiados e paragens em aldeias charmosas. Uma experiência sensorial completa que lhe permite desfrutar plenamente do caráter dos vinhos locais ... com moderação, mas também prazer! Garrafeira Nacional -  Rua da Conceição, 20/26 - Lisboa Horário: todos os dias das 10h às 21h

Ler mais
Onde e como provar bons vinhos portugueses em Lisboa

Onde e como provar bons vinhos portugueses em Lisboa

Cultura e Arte

Explore Lisboa a bordo do mítico Elétrico 28

1 ano atrás - Valérie D.

Os elétricos de Lisboa são para a capital portuguesa o que os autocarros vermelhos de dois andares são para Londres: máquinas que fazem parte do cenário e que nos permitem explorar a cidade das formas mais pitorescas. A linha 28E é a mais emblemática, oferecendo uma gama de descobertas particularmente ampla, entre monumentos e tesouros escondidos. Nascida em 1914, a lendária linha E28 ("E" para "eléctrico") do elétrico de Lisboa serve o centro de Lisboa e as suas colinas. Este meio de transporte centenário é, sem dúvida, a melhor maneira de percorrer as mais íngremes ruas, poupando ao mesmo tempo, o tedioso exercício de percorrer as encostas pavimentadas a pé. Se ainda parece um brinquedo de colecionador, este "Remodelado" tem duas qualidades que os eléctricos modernos não têm. Há, claro, o charme antiquado deste carro amarelo único, com bancos de madeira polida. Mas, este veículo tem especialmente a possibilidade técnica de fazer um circuito com curvas apertadas, em colinas íngremes. Desde a sua partida na Praça do Martim Moniz, até à sua chegada ao cemitério dos Prazeres, no bairro de Campo Ourique, as 35 paragens da linha 28 podem ser feitas nuns bons quarenta minutos. Mas também pode optar por usá-lo num estilo "hop on / hop off", passar o dia explorando o ambiente mais notável e desfrutar de bons endereços que recomendamos aqui. Vista real da Graça Vamos passar rente às paredes na subida da colina da Graça: aqui bate o coração de uma Lisboa popular. É nesta área, a poucos minutos a pé da paragem da Rua de Graça, que pode aceder a uma das mais belas vistas da cidade de Ulisses. Porque quem diz colina, diz ponto de vista! Inconfundível, o Miradouro da Senhora do Monte é o mais alto e, certamente, um dos miradouros mais bonitos de Lisboa. Ele oferece uma vista deslumbrante do medieval Castelo de São Jorge, e uma vista panorâmica da cidade velha até à ponte 25 de Abril. O eléctrico passa em frente ao mosteiro branco de São Vicente da Fora, museu e local de sepultamento dos reis portugueses: reserve um tempo para uma paragem real. O claustro deste mosteiro é decorado com azulejos do século XVIII, onde o turista francês reconhecerá facilmente uma ilustração de 38 fábulas do poeta Jean de La Fontaine. Claustro que hoje abriga o Panteão Real da dinastia Bragança. Contém 44 túmulos, incluindo o da rainha Amélia (dona Amelia d'Orleans e Bragança), a última rainha de Portugal, nascida em França. Então, pense em subir ao terraço para desfrutar de uma vista de 360 ° da cidade chamada "Rainha do Tejo". Mosteiro e claustro de São Vicente da Fora – Largo de São Vicente Horário de funcionamento: terça a domingo, das 10 às 18 horas. Alfama: postal e tesouros culturais Deixamos este antigo bairro da Graça para encontrar outro: o de Alfama, aos seus pés. A paragem no Largo das Portas do Sol é imperdível para qualquer estadia em Lisboa. Esta imagem de Lisboa que todos temos em mente está aqui: os telhados vermelhos, a cúpula branca do Panteão, o azul do Tejo. Esta é uma oportunidade para mergulhar os olhos na alma de Lisboa a partir do amplo terraço do bar de cocktails Portas Do Sol. Num ambiente lounge, pode desfrutar de um brunch ou uma refeição leve e saborear uma ginja ou uma bica, enquanto se imagina andando pelos becos estreitos, escadas e passagens abobadadas pelas encostas. Portas Do Sol - Largo das Portas do Sol, Beco de Santa Helena Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 9 às 19 horas A cem metros mais adiante, o mirante de Santa Luzia é outra obrigação de observar a cidade. O nosso eléctrico 28E continua a sua viagem, tremendo entre bancas de frutas e outras lojas, no bairro típico que sobreviveu ao terremoto de 1755. Sair! Não longe, podemos aprofundar a imersão cultural visitando o espaço A Arte da Terra, uma cooperativa que apresenta e comercializa artesanato português numa decoração abobadada e onde é possível provar vinhos e pastelaria locais. A Arte da Terra - Rua Augusto Rosa 40 Horário de funcionamento: todos os dias das 11h às 20h Visite poetas no bairro do Chiado Algumas curvas e solavancos depois, após atravessar o bairro da Baixa, a viagem do pequeno mas lendário eléctrico amarelo continua no Chiado. Pode cumprimentar a estátua do famoso poeta Português Fernando Pessoa, sentado no terraço do Café A Brasileira, que mencionámos num post anterior. O menino de bairro, amante do café, era frequentador deste estabelecimento. É um dos mais antigos da capital, uma instituição que manteve a sua decoração de 1900 e os seus intelectuais públicos tradicionais (mas, agora, também muitos turistas). Será que alguns pasteis de nata e um café expresso perto da sua mesa preferida irão talvez inspirar alguns versos em homenagem às belezas de Lisboa? O bairro do Chiado também tem o nome do poeta António Ribeiro. Não surpreende encontrar, um pouco mais longe, a estátua de outro escritor, Luís de Camões, na praça do mesmo nome. Popular, real, a capital é aqui também literária. A Brasileira - Rua Garrett 20 Horário de funcionamento: todos os dias das 8h às 2h Uma chegada sob a ‘estrela da sorte’ da Estrela A viagem do elétrico 28E está prestes a acabar, e diante dos nossos olhos os monumentos de Lisboa continuam a brilhar: a Assembleia Nacional ou o funicular da Bica. Entra finalmente no bairro histórico da Estrela, em torno da sua basílica de mármore branco em estilo barroco. O Jardim da Estrela, bem em frente, é uma paragem onde pode passear entre as árvores exóticas ou sentar-se num banco - muito mais relaxante do que os elétricos, muitas vezes cheios. E como estamos no bairro da Estrela, por que não acabar o seu passeio com um jantar num restaurante gourmet premiado pelo Guia Michelin? O Loco, localizado junto à Basílica da Estrela, revela aos seus clientes a sua cozinha numa decoração muito moderna. Este estabelecimento que ostenta uma estrela Michelin é o de Alexandre Silva, primeiro vencedor do Top Chef Portugal, que gosta de valorizar os produtos locais. Um final perfeito para terminar a viagem tão característica que oferece o eléctrico 28E no coração dos vários sabores de Lisboa. Loco - Rua Navegantes 53 Horário de funcionamento: de terça a sábado, das 19h às 23h Última dica antes de embarcar: lembre-se de trazer o seu passe da rede Viva Viagem 24h Carris, e escolher a sua agenda para evitar a multidão.

Ler mais
Explore Lisboa a bordo do mítico Elétrico 28

Explore Lisboa a bordo do mítico Elétrico 28

Vida Noturna

Clubes e discotecas: onde sair em Lisboa

1 ano atrás - Julie D.

A vida noturna de Lisboa é ativa e apaixonante. Todos se encontram para jantar ou tomar uma bebida (veja no nosso site os restaurantes mais badalados de Lisboa, melhores bares e rooftops) e aproveite as longas noites, uma vez que o clima permite. Como a sua prima, a movida madrilena, a noite de Lisboa é uma parte importante da cultura portuguesa - outra "tradição popular" para desfrutar, dançar até ao fim da noite! A noite em Lisboa começa e termina tarde. Não que muitas pessoas entrem nas discotecas antes das duas ou até três da manhã. Enquanto esperamos que as pistas de dança se encham, temos tempo de sobra para jantar, depois passeamos de bar em bar pelas ruelas do Bairro Alto, o bairro da festa. Os clubes da capital portuguesa têm cada um a sua atmosfera única. Muitos abriram as suas portas em antigos armazéns na zona portuária do Cais do Sodré. Todos vão encontrar música ao seu gosto: os últimos sucessos em que dançamos durante todo o verão, ou ao contrário sets de DJs muito bons, passando por jazz, electro ou world music - até black metal: saímos à noite em Lisboa segundo gostos musicais. E nada proíbe pilhagens, uma noite aqui, uma noite lá, um "antes" mainstream, um "depois" mais alternativa. Para ir à discoteca em Lisboa, todas as desculpas são boas. Então, não vamos ser sectários - podemos relacionar-nos com géneros musicais desconhecidos por curiosidade, porque isso faz parte das descobertas da viagem! Rei das Discotecas: LuxFrágil, ver e ser visto Fat Boy Slim tocou aqui, e John Malkovich é um dos proprietários ... LuxFrágil está regularmente em primeiro lugar no ranking de lugares para ir a discotecas em Lisboa. Este enorme clube, de três andares, é o ne-plus-ultra: do terraço com vista para o Tejo, para um sopro de ar fresco nas noites quentes, para o porão techno, iluminado por estroboscópios que brilham ao ritmo da música. É o clube onde se vai ver e ser visto. Atravessa o jet-set lisboeta, mas cuidado, quem diz exclusivo diz seleção na entrada. Esta é a oportunidade de entrar com as melhores roupas: é aqui que as "pessoas bonitas" encontram-se. A decoração muda regularmente, e a tentação do excesso nunca está longe: telas gigantes, poltronas gigantes, globos gigantes pendurados no teto. Nós vamos para lá de madrugada, por volta das 3 ou 4 horas da manhã. LuxFragil - Av. Infante D. Henrique, Armazem A, Cais da Pedra a Sta. Apolonia, 1950 - 376 Lisboa. Música africana para os conhecedores: B.Leza Desde 2012 e a sua mudança para um antigo armazém das docas, B.Leza conhece um belo renascimento. Este é o lendário clube da música africana, para os aficionados dos ritmos. Os poucos felizes que dominam os exigentes quadris da música angolana e cabo-verdiana, kizomba, semba e funaná, virão divertir-se, especialmente nos workshops de dança muito populares. Os DJs e as orquestras de música ao vivo são excelentes e prometem noites com energia comunicativa. Uma vez por mês, festa de fado; Domingo à noite, aulas de kizomba a partir das 19h e noite de kizomba até as 2h.  B.Leza - Cais da Ribeira Nova, Armazem B, 1200-109 Lisboa – de 4a feira a domingo Os grandes clássicos: Incógnito, Ministerium Eles também são regularmente mencionados entre os melhores clubes, Incógnito e Ministerium são grandes clássicos no curso de clubes e discotecas em Lisboa. Incógnito, o clube mais antigo de Lisboa, está aberto continuamente desde 1988, nada menos. Rock alternativo e synthpop eighties, as escolhas musicais são indie. No interior, uma mezzanine com vista para a pista de dança, enquanto acima, um loft com um segundo bar oferece um espaço para recuperar o fôlego. Aqui também, a seleção na entrada pode ser uma coisa incómoda. Fiel ao seu nome, o clube não é nomeado fora, por isso, encontre a morada e toque à porta. Incógnito - Rua Poiais de São Bento 37 (Bairro Alto), 1200-346 Lisboa Ministerium, na Praça do Comércio, deve o seu nome ao fato de que se instalou num antigo prédio do Ministério da Fazenda, e carrega com glamour a sua arquitetura do século XVIII. Mas cuidado, o Ministerium é um clube apenas na noite de sábado. Durante o dia, o seu restaurante (Cantina) serve refeições requintadas para almoço e jantar. Ministerium - Terreiro do Paço, 1100-038 Lisboa – Sábados das 23h às 6h O encanto sulfuroso de um velho bordel: Pensão Amor Este bar clube abriu as portas num velho bordel e não hesita em lembrá-lo. A decoração, cartazes de pin-up, veludo vermelho e franjas com tons, está no tema, e na parte inferior do clube, escondido de vista, é ainda uma discreta sex shop... Num ambiente tranquilo e descontraído, viemos tomar uma bebida e desfrutar de um programa variado: concertos (jazz, artistas solo), cabaret burlesco, pole dancing. Pensão Amor - Rua do Alecrim 19, 1200-292 Lisbon Para os nostálgicos dos anos 80, dois locais incomuns Interessado em dançar longe das músicas do verão? Para nostalgia da New Wave dos anos 80, Club Noir é especializado na música dos anos 80: indie, indietronic, synthwave, retrowave, diferentes correntes são homenageadas todos os sábados à noite. Na sexta-feira, no entanto, heavy metal e hardrock. Tudo num cenário surpreendente: o Club Noir investiu nas adegas abobadadas do antigo clube tropical Bora-Bora e manteve a decoração um pouco kitsch... Club Noir- Rua da Madalena 201, 1100 Lisboa - Sextas, sábados e vésperas de feriados das 23h às 4h Outro clube que não tem nada a ver com a música mainstream, e que se importa pouco para ser taxado como piegas, Metropolis centra-se na "cena escura": post-punk, goth, darkwave e elektro áspero. Vai encontrar os seus fãs aqui. O clube organiza regularmente as festas Depeche Mode ou Guns'n'Roses, bem como as festas Rockline Tribe e Vanguarda (veja os eventos no Facebook deles). Metropolis Club - Av. Fontes Pereira de Melo 35, 1050 - 118 - No 2ª cave do edifício Imaviz (prédio verde ao lado do Sheraton) Aqui está a receita para o sucesso da noite de Lisboa: passe o tempo que quiser depois de um dia de passeios. Uma vez vestido a rigor, revigorado e mimado, estará pronto para ir a um clube ou a uma discoteca em Lisboa. É hora de subir ao palco e causar uma grande impressão: numa vespera de feriado, adicione uma colher de curiosidade, um toque de calor, várias cervejas frescas ou cocktails bem misturados, um generoso golo de conversas amigáveis e risos. Uma pitada de sedução, para não mencionar um toque de flerte. Misture tudo ao ritmo da música! Na pista de dança da sua escolha. Para terminar em grande estilo, tudo o que tem de fazer é ir para casa de manhã cedo, cansado mas feliz, a sua cabeça ligeiramente enevoada, saudando o sol nascente no Tejo.

Ler mais
Clubes e discotecas: onde sair em Lisboa

Clubes e discotecas: onde sair em Lisboa