Cultura e Arte


Irá encontrar nesta página todos os artigos do blog HomeTown da secção Cultura e Arte

Cultura e Arte

Sintra, uma imperdível escapadela de Lisboa

6 anos atrás - Pauline P.

Localizado a apenas 30 km da capital portuguesa, Sintra é definitivamente um desvio a fazer quando ficar em Lisboa. Classificada em 1995 como Património Mundial da UNESCO, oferece paisagens e monumentos notáveis, dando-lhe o apelido de "Eden Glorioso". Num dia ou mais, descubra este destino imperdível, cujos vários palácios vão surpreendê-lo... A não perder Palácio Nacional de Sintra Uma mistura de arquitetura medieval, gótica e romântica, cuja construção começou no século XIV, o Palácio Nacional de Sintra foi o reduto da família real até 1910, quando a monarquia terminou em Portugal. São sobretudo os magníficos azulejos que decoram as muitas salas do palácio real que valem o desvio. Há azulejos do século XIV ao século XVIII, incluindo autênticos azulejos mudéjar, com motivos geométricos mouriscos. Outra parte notável do palácio, as chaminés colossais, construídas no século XIV para evitar que as cozinhas ficassem cheias de fumo. São visíveis a quilómetros de distância, e é impressionante pensar nos banquetes da altura que exigiam chaminés tão grandes! Quinta Da Regaleira A Quinta da Regaleira é uma propriedade construída no centro histórico de Sintra no século XIX. As referências à alquimia, à mitologia, à maçonaria e aos templários são numerosas, tanto na arquitetura do palácio como no desenho do parque que a rodeia. É um domínio encantador, tanto pela qualidade do trabalho, da arquitetura como pelo simbolismo lançado. O misterioso palácio e os jardins Edénicos são notáveis por esse motivo. Em particular, pode descobrir-se os poços iniciáticos, um pouco menos de 30 metros de profundidade, que expressa o simbolismo da vida e da morte, o paraíso e o inferno, e que se cruza passando por várias etapas representadas pelos pisos. Os vários jardins, grutas e lagos que cercam o palácio são mistérios a serem questionados pelos visitantes...Perto da entrada do parque de Regaleira está o Palácio Seteais, datado do século XVIII, agora transformado em hotel. E não hesite em subir até o miradouro, de onde se pode ver o Palácio da Pena, o Castelo dos Mouros e o mar à distância... Palácio da Pena O Palácio de Pena é tão singular que foi considerado em 2007 como uma das Sete Maravilhas de Portugal. É o primeiro palácio na Europa a ter sido construído de acordo com o estilo arquitectónico do Romantismo, e é essa arquitetura extravagante que inspirou os estúdios da Disney a desenhar castelos de contos de fadas. Com as suas cores brilhantes e inspiração moura, o exterior é simplesmente notável. Os jardins também são bucólicos e aconselhamos a subir até à "Cruz Alta", da qual a vista é soberba, e de onde se pode admirar todo o Palácio, situado na sua colina. Se tiver mais tempo O Castelo dos Mouros O Castelo dos Mouros foi construído durante o século XIX pelos mouros do Magreb para monitorar a cidade de Sintra, mas foi abandonado após a conquista de Portugal. Altos parapeitos, muralhas sólidas, a visita mergulha-nos em tempos medievais. Do ponto mais alto, as vistas panorâmicas das colinas da Serra de Sintra e as planícies que se prolongam até ao Oceano Atlântico são excepcionais. Palácio Nacional de Queluz e Jardins O Palácio Real Nacional de Queluz foi comissionado por Pedro III, futuro Rei de Portugal, e tornou-se a residência de verão da família real de 1794 a 1807. Ainda é considerada uma jóia do património português: a opulência da sua decoração, a participação na sua construção dos maiores arquitetos da época, bem como o seu suntuoso jardim ao estilo francês, é para muitos, o Versailles português. Uma das asas do palácio, o Pavilhão Lady Mary, é hoje a residência dos Chefes de Estado estrangeiros que visitam Portugal. A praia da Ursa É uma caminhada desportiva de 30 a 40 minutos (calce os seus ténis em vez de sandálias) para chegar à praia da Ursa, mas a recompensa está no auge do esforço! Uma praia muito calma, areia fina, formações rochosas apelidado de Ursa e Gigante, e que deu o seu nome à praia o que lhe confere um charme particular... Chegar a Sintra A forma mais conveniente para chegar a Sintra é provavelmente o comboio, direto do centro de Lisboa a partir da estação de comboios do Rossio. Um comboio passa a cada 20 minutos durante o dia entre 7 da manhã e 11 da noite, e a viagem dura apenas 30 minutos. A estação de Sintra é o terminal do comboio: segue-se então um quilómetro e meio para chegar ao centro da cidade. Um autocarro, 434, liga a estação ao centro de cidade e aos três palácios da cidade. O autocarro parte a cada quarenta minutos, portanto, a espera pode ser um pouco longa... De carro, chegue muito cedo, antes da abertura dos escritórios, lojas e palácios para ter esperança de encontrar um lugar de estacionamento perto do Palácio da Pena. Alternativamente, desfrute de um dos parques de estacionamento abertos ao ar livre perto da estação; De lá, poderá apanhar o autocarro 434 para a Pena.

Ler mais
Sintra, uma imperdível escapadela de Lisboa

Sintra, uma imperdível escapadela de Lisboa

Cultura e Arte

Fado, Música da alma portuguesa

6 anos atrás - Pauline P.

Elevado a Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO em 2011, o Fado não é música regional como tantos outros, só popular e geralmente apreciado por pessoas mais velhas. O Fado, pelo  contrário, é a alma do povo português, um lamento universalmente respeitado no país, tanto que os restos mortais da cantora Amália Rodrigues, conhecida como a rainha do Fado, estão no Panteão Nacional de Lisboa. Para descobrir toda uma parte da cultura portuguesa, deixe-se levar pela emoção do Fado num dos bares ou restaurantes onde os Fadistas atuam todas as noites. Fado, Pilar da identidade nacional Esta música típica, acompanhada por instrumentos de cordas arranjados, principalmente guitarras, explora os temas recorrentes de amor perdido ou impossível, o passado e a morte, tristeza e exílio... A palavra Fado vem do latim "Fatum", que significa "Destino": o destino das pessoas sensíveis e nostálgico do seu passado. As origens da música de Fado ainda não estão claras, embora se reconheça que  apareceu nas docas de Lisboa na década de 1820: seria uma deriva de canções tradicionais cantadas por marinheiros portugueses, ou uma mistura de música brasileira e africana que ressoou nestas docas. Primeiro cantado em bairros populares, o Fado foi então renovado: Maria Severa é a primeira Fadista reconhecida, nos 1850s. Duas variantes do Fado são distinguidas: O Fado de Coimbra, numa cidade universitária no centro do país, cantada apenas por homens. Este é o canto académico, praticado em universidades, onde cantores eruditos, vestidos com capas pretas, atendem às alunas para seduzi-las. Falam-lhes sobre a cidade e o Rio Mondego que o atravessa, da vida estudantil e do amor, e também usam os textos dos grandes poetas portugueses. Em contraste com o Fado de Coimbra, o Fado de Lisboa vem dos bairros populares da cidade. Geralmente conta pequenas histórias típicas da vida quotidiana, e pode ser cantado por mulheres, também. O Fado moderno é agora conhecido para além das fronteiras portuguesas e europeias graças à famosa Amália Rodrigues, conhecida como a "Rainha do Fado", que gravou nada menos que 170 discos durante a sua carreira. Atualmente, uma nova geração de cantores de Fado tem subido e está a tornar esta música muito popular, para citar alguns; Antonio Zambujo, Ana Moura, Mariza ou Cristina Branco. Onde ouvir Fado em Lisboa? Os nossos locais "obrigatórios" Para uma imersão total na cultura portuguesa, entre pela porta de um dos muitos bares ou restaurantes onde os cantores de Fado cantam todas as noites: Fado em Si, no bairro de Alfama, há uma instituição onde todos os grandes nomes do Fado foram produzidos. Boa comida, 4 a 5 cantores profissionais de Fado todas as noites, oferecem um serviço de alta qualidade a um público atento e respeitoso: a condição ideal para descobrir a grande tradição portuguesa do Fado. Arco de Jésus 7, Alfama, 1100-037 Museu do Fado, onde um concerto ao ar livre é exibido regularmente no terraço. Para descobrir toda a história do Fado... Largo do Chafariz de Dentro 1 Duetos da Sé, perto da Catedral de Lisboa, um conceito híbrido é exibido entre comida, cultura e música. Este lugar é reconhecido pela qualidade da sua música de Fado, mas também por outros estilos de música portuguesa. Dê uma olhada no programa antes de chegar lá! Travessa Almargem 1B Senhor Vinho, uma das casas de Fado mais lendárias de Lisboa. Inaugurada em 1975 pela famosa Fadista Maria da Fé e pelo seu marido, esta tornou-se um importante espaço cultural da capital portuguesa. Muitos talentos apresentaram-se aqui, como Ana Moura e António Zambujo, os famosos cantores de Fado do momento. Rua do Meio à Lapa 18

Ler mais
Fado, Música da alma portuguesa

Fado, Música da alma portuguesa